sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

A história do Fusca 1976

Navegando no youtube, olhando uns videos de fuscas, achei esse vídeo que conta um pouco da história de um fusca 1976, realmente muito emocionante. É mais uma prova de que o fusca não é apenas mais um simples carro, é muito mais que isso.... vale apena conferir.

Segue a descrição do vídeo:

"Vou tentar descrever aqui uma história com grande emoção. Meu Pai (já falecido) comprou um Fusca 1300 1976 em 2002 do Sr. Nilvo (quem tirou ele 0km da loja), o fusca era usado apenas para passeio, ficava sempre guardado na garagem em baixo de uma capa protetora. Foi a partir daí que a história começa em nossa família. Meu Pai usou este carro até dia 15/01/2005, data em que faleceu. Em abril de 2006, mês em que fiz 18 anos, minha mãe e minhas irmãs se reuniram e decidiram me dar o carro de presente, pois eu era o único filho homem e era muito apegado ao meu Pai e ao carro também, fiquei muito emocionado, já que ele era o "chodó" do meu Pai. Passei então a usar o carro para passear e trabalhar. Em março de 2008 dei o fusca e uma moto que havia adquirido de entrada em um Golf 2001 (carro que só me incomodou, diferente do fusca). Meus familiares ficaram chateados comigo, afinal o carro foi uma herança que tinha um valor sentimental para todos.
O novo dono dele, Fernando, fez apenas duas coisas que o deixaram impecável novamente (pintou o exterior em um restaurador de fuscas e colocou quatro pneus novos). O carro ficou em exposição na loja dele por um tempo (eu passava na frente e me arrependia do que tinha feito), depois foi levado para uma garagem na Gamboa-SC. Ele decidiu fazer uma rifa do fusca para recuperar o dinheiro gasto e ter mais um atrativo na festa beneficente a um Sr. da comunidade, que é feita todo final de ano. Comprei um bilhete no valor de R$ 200,00 e fui para a festa realizada em dezembro de 2009, com a esperança de ganhá-lo, mas ainda não era à hora. Ao receber o prêmio o ganhador subiu no palco, agradeceu a todos e na mesma hora anunciou que estava doando o fusca para Associação do Beira Mar, para que fosse feito um novo sorteio na peixada em junho de 2010 (festa para arrecadar fundos à Associação). Eu então falei com o Fernando, que por sinal virou meu amigo, pedi para me avisar quando estivesse vendendo bilhetes para o novo sorteio porque eu queria comprar novamente.
Uma semana antes da festa ele me liga e oferece o bilhete no valor de R$ 100,00 dizendo que só tinha mais os números 24 e 26, eu ia escolher o 24, pois meu Pai sempre jogava este número no jogo do bixo, mas não sei por qual motivo fiquei com o 26 e falei para ele, eu não vou à festa, tem algum problema? E ele me garantiu que estaria lá para me representar. Dia 12, como era dia dos namorados fui passear com minha namorada, que comprou este bilhete "de meia" comigo. No final do dia quando já estávamos prontos para voltar para casa, recebo a ligação de um amigo meu chorando e gritando... "Tu ganhou o fusca, tu ganhou o fusca que era do teu Pai, vem pra cá, estão todos muito felizes e emocionados com a história, vem..." Eu não acreditava e comecei a chorar, a rir, tudo ao mesmo tempo, logo peguei o carro e fui com minha namorada para o local da festa, parecia que não chegava nunca, mas chegamos e lá estava ele... Ao chegar várias pessoas vieram me abraçar e dar os parabéns (me senti um popstar... risos), pois o Fernando havia subido no palco e contado a história, muitos se emocionaram neste momento. Peguei então o carro e fui para casa do meu amigo que me deu a notícia, dormimos na casa dele e domingo cedo fomos para casa mostrar para minha mãe.
Antes de chegar em casa passamos na minha irmã para combinar de que forma mostraríamos o carro para ela, pois ela tem 63 anos e sente muito a falta do meu Pai, e este fusca traria muitas lembranças a ela. Minha irmã, meu cunhado e minha sobrinha foram na frente para prepará-la dizendo que tínhamos uma surpresa. Enfim, chegamos (eu e minha namorada) com o fusca, à emoção dela foi muito forte (gravamos tudo), e assim foram chegando às pessoas e vendo o fato histórico. Podemos dizer até que foi um acontecimento dos céus.
Algumas observações... O carro não rodou 500km do dia que vendi até o dia que recuperei; O carro ainda estava no meu nome; Um chaveiro com uma Santa que meu Pai sempre tinha em seus carros, estava no mesmo local que ele deixou. Bom, está é minha história, tentei resumir e explicar da melhor forma possível. Há, ia me esquecendo uma coisa, agora ele não sai mais da família... risos."


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário